terça-feira, 31 de Outubro de 2006

77) SECRETARIA DE EDUCAÇÃO DE SP FAZ EVENTO SOBRE SAÚDE DOS ALUNOS

Desta terça (24) até a quinta-feira (26), será realizado em São Paulo o II Seminário Escola Promotora da Saúde. O evento, promovido pela Secretaria Municipal de Educação, vai contar com a participação de um representante de cada uma das 1.200 escolas do município. A rede municipal atende a 1,1 milhão de estudantes. O seminário será no anfiteatro “A” do Hospital do Servidor Público Estadual, que fica na rua Borges Lagoa, 1.855, 15º, na Vila Clementino.
Durante a programação, das 8h às 17h, especialistas em saúde de universidades e instituições públicas vão falar sobre temas relacionados ao bem estar de crianças e adolescentes como nutrição, saúde bucal, inclusão escolar, violência doméstica e sexual, saúde cardiovascular em crianças e adolescentes e gravidez.
Cada dia do encontro será dedicado a uma das três modalidades da educação municipal: os Centros de Educação Infantil (Ceis), as Escolas Municipais de Educação Infantil (EMEIs) e as Escolas Municipais de Ensino Fundamental (Emefs), Escolas Municipais de Ensino Fundamental e Média (EMEFMs) e Escolas Municipais de Educação Especial (Emees).
G1.com
* * *
Assuntos interessantes de abordar junto de professores. Refira-se a importância, entre outras, da valência da saúde bucal. Enfim, assuntos que dizem directamente respeito à população estudantil. Mais que a teoria, precisa-se destas práticas reais em Portugal.
Gerofil

domingo, 29 de Outubro de 2006

76) Porque os problemas bucais interferirem directamente no padrão de vida da população

Recife, BRASIL - De acordo com um levantamento realizado pela Coordenação de Saúde Bucal da Prefeitura do Recife, o atendimento odontológico teve melhorias nos últimos cinco anos. De 2000 a 2005, o número de procedimentos realizados pelo município passou de 880.170 para 1.152.664. A análise é divulgada na semana em que se comemora o Dia Nacional da Saúde Bucal e o Dia do Cirurgião-Dentista, nesta quarta-feira (25).
“O atual modelo de atenção à saúde bucal no Recife preza pela nova lógica da prevenção e promoção à saúde em detrimento daqueles procedimentos apenas de caráter curativo e/ou mutilantes, como era até alguns anos atrás”, avalia a coordenadora de Saúde Bucal da Prefeitura, Nilcema Figueiredo.
De acordo com ela, houve um declínio no número de extrações dentárias de dentes permanentes. O percentual caiu de 4,7%, em 2000, para 2,6%, em 2005. Já os procedimentos especializados, como a realização de canais, cirurgias e tratamento de doenças da gengiva, aumentaram de 5,1% para 7,8%.
Atualmente, a rede de serviços odontológicos do Recife conta com 75 Unidades de Saúde da Família (USF), totalizando 90 equipes de saúde bucal. “Nossa meta é ampliar, gradativamente, a cobertura das equipes de saúde bucal, o número de Centros de Especialidades Odontológicas e os serviços de urgência a fim de melhorar ainda mais o atendimento à população recifense”, indica a diretora de Atenção à Saúde da Prefeitura do Recife, Tereza Campos.
O modelo de atenção à saúde bucal do município também conta com 25 unidades tradicionais (os antigos postos de saúde), 4 Centros de Especialidades Odontológicas (CEO), 3 Serviços Odontológicos de Urgência, 5 Policlínicas e os serviços conveniados ao SUS. “A saúde bucal é um componente significativo da saúde geral, principalmente pelo fato de os problemas bucais interferirem diretamente no padrão de vida da população”, analisa Nilcema Figueiredo.
* * *
E nós por cá, em Portugal ? Quem apresenta estatísticas ? Quem por direito refere como têm evoluído, em número, os cuidados de saúde oral em Portugal ? Será mesmo que existem números ?
Gerofil

75) Tratamento odontológico completo, que atende a pacientes de 0 a 100 anos de idade

Araçatuba, São Paulo (BRASIL) - Pesquisa recente da Organização Mundial da Saúde (OMS) aponta que em 2005 o serviço público de odontologia de Araçatuba apresentou índice positivo em relação à saúde bucal das crianças, em comparação com anos anteriores.
A informação foi divulgada nesta quarta-feira pela Secretaria de Saúde do município, a propósito do Dia do Dentista, comemorado todo dia 25 de outubro. Araçatuba é sede da Faculdade de Odontologia da Unesp, o que contribui para esse grau de eficiência, segundo especialistas da área.
Os números mostram que crianças de até 12 anos de idade estão abaixo da média mundial de dentes cariados, perdidos e obturados. Já a porcentagem de crianças livres de cáries aos 5 anos de idade é de 50%.
A chefe de divisão odontológica de Araçatuba, a dentista Dirce Sato Shimata, informou que os números alcançados pela cidade na pesquisa da OMS são resultado de esforço profissional das equipes de cada unidade, com atividades de prevenção, orientação e palestras educativas. Dirce lembra ainda que os serviços odontológicos eram oferecidos apenas a gestantes, bebês e crianças, até 2001. Os adultos recebiam tratamentos de emergências, como a extração do dente, em casos de dor.
"Hoje a prefeitura oferece um tratamento odontológico completo, que atende a pacientes de 0 a 100 anos de idade", explica. O atendimento odontológico municipal é feito em vários locais: Pronto-Socorro; Clínica do Bebê; unidades do Dona Amélia e do Jussara; em 19 Emefs (Escolas Municipais de Ensino Fundamental); escolas estaduais; CEO (Centro de Especialidades Odontológicas); consultório no ambulatório DST/AIDS; equipes do PSF (Programa Saúde Família); programa do bochecho, desenvolvido em 80 Emeis (Escolas Municipais de Educação Infantil); e serviços odontológicos especializados com dois dentistas que atuam em parceria com a Unesp de Araçatuba.
Nesta quarta-feira, o serviço odontológico realizou trabalho educativo de prevenção de doenças e orientação sobre os cuidados com a higiene bucal, em todas as unidades odontológicas do município. Durante o período de atendimento nessas unidades, a população pode receber explicações sobre saúde bucal, como escovação, a forma correta de usar o fio dental, dieta alimentar.
* * *
Esperemos também que em Portugal surjam autarquias candidatas a serem reconhecidas pela Organização Mundial da Saúde pelos resultados que consigam no combate das doenças da boca (sem esquecer também o esforço do Ministério da Saúde).
Gerofil

sábado, 28 de Outubro de 2006

74) Como chegar aonde é preciso ?

Porque a saúde oral deve ser feita logo desde os primeiros meses de vida, ficam aqui mais alguns exemplos que podem ser adaptados e aplicados também aqui em Portugal.

Não basta haver dentistas; é preciso apostar na prevenção e possibilitar a todos os portugueses o acesso imediato a cuidados de saúde oral, sem qualquer descriminação social ou geográfica.
Assim, a adaptação de algumas destas campanhas à realidade portuguesa (nomeadamente junto da população mais carente) e a criação da possibilidade do acesso imediato aos tratamentos de que se necessita são medidas necessárias e urgentes que devem ser aplicadas no nosso país, a fim de combater os gravíssimos problemas de saúde oral que ainda afectam uma larga percentagem de população.
Gerofil
* * *




DENTES SAUDÁVEIS - UBS desenvolve ações preventivas (28-10-2006)

Crianças desenham o que aprenderam com as atividades


Marília, São Paulo (BRASIL) - A UBS Planalto, zona sul, promoveu atividades relacionadas à campanha municipal Sorria Marília, de saúde bucal, durante toda a semana. Teatro, música e atividades lúdicas envolveram as crianças dos bairros atingidos pela unidade. A equipe responsável também orientou as mães sobre a necessidade e a forma de se higienizar a boca dos bebês.

A população atingida pela UBS (Unidade Básica de Saúde) Planalto é de aproximadamente oito mil habitantes, sendo que pelo menos dois mil são crianças. “Além do Planalto, abrangemos mais cerca de 20 bairros”, informou a enfermeira assistencial do posto, Alessandra Pereira.

A dentista e a fonoaudióloga da unidade, além dos demais profissionais da equipe orientaram as crianças sobre a importância de manter a higiene bucal para a saúde e ensinaram como escovar os dentes e a língua e em que situações isso deve ser feito. Para prender a atenção, recursos como música, brinquedos, histórias e teatro foram utilizados.

Além dos pacientes da pediatria, outras crianças da comunidade participaram ao longo da semana. Luan Vinícius Rodríguez, de 12 anos, esteve ontem no espaço da unidade reservado para as atividades. Envolvido por muitos desenhos nas paredes, bexigas e pelo som de músicas sobre a escovação dos dentes, ele desenhou em um cartaz o que aprendeu. “A gente se distrai e aprende. A saúde bucal tem que ser boa, se não os dentes caem e precisa usar dentadura”, disse.

Gabriel Anunciato de Miranda, de 11 anos, é filho de uma das agentes comunitárias da unidade e ajudou a fazer a divulgação. “Chamei todos os meus amigos. O que achei mais interessante é saber que tem um jeito certo de escovar os dentes”, comentou.

Na área de fonoaudiologia, foi explicado para as crianças como as chupetas e bicos de mamadeiras prejudicam a arcada dentária, deformam a boca e interferem na fala.

BEBÊS - A equipe da UBS também orientou as mães que passaram pela unidade durante toda a semana. Os bebês devem ter a boca limpa desde o nascimento. Basta umedecer uma gaze ou um pedaço de fralda de pano com água filtrada ou fervida e enrolar no dedo, passando pela boca da criança, incluindo gengiva e língua.

A higiene deve ser feita após todas as mamadas e principalmente à noite, antes do bebê dormir. A medida evita que as bactérias causem inflamações nas gengivas e garante o nascimento de dentes saudáveis. Mamar no seio da mamãe favorece o desenvolvimento da criança, enquanto que a mamadeira atrapalha. Além disso, a equipe alerta sobre o erro de colocar açúcar no leite da criança, o que é desnecessário e prejudicial.

ESCOLAS - A equipe da UBS Planalto também levou as orientações e peças de teatro nas escolas municipais Nivando Mariano de Souza e Samba Lê-lê. O concurso de cartazes ainda premiou os vencedores com kits de escovação. Uma palestra também foi realizada na Escola Estadual Walfredo Rothermund. Todas as atividades foram desenvolvidas por iniciativa da equipe, que inclusive utilizou recursos próprios.

Jornal da Manhã

* * *

Atividades lúdicas envolvem as crianças

(24-10-2006 )

Marília, São Paulo (BRASIL) - Crianças da educação infantil da rede municipal passaram parte da tarde ontem no Teatro Municipal. O primeiro dia do evento “Sorria Marília” contou com a participação de autoridades municipais, que juntas com os alunos, assistiram as apresentações de música e teatro sobre saúde bucal.

O “Sorria Marília” é realizado anualmente pelo Programa de Saúde Bucal da Secretaria Municipal da Saúde em parceria com outras representações da classe odontológica, como a APCD (Associação Paulista de Cirurgiões Dentistas).

A prevenção é a palavra-chave, daí o foco das ações nas crianças. “A idéia é incorporar nas pessoas desde a infância a consciência da qualidade de vida, o que inclui a saúde bucal”, salientou o dentista Marcos Girotto, coordenador do evento. O prefeito Mário Bulgareli destacou que na saúde, prevenir é a melhor alternativa. O secretário municipal da Saúde, Júlio Cezar Zorzetto, também esteve presente.

As crianças da rede municipal assistiram a uma apresentação de alunos da Apae (Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais) que dançaram e representaram ao som de uma paródia em homenagem aos dentistas. Na seqüência, agentes comunitários de saúde e dentistas do Programa de Saúde da Família (PSF) realizaram peças teatrais interativas.

“Mais de 70 profissionais estão envolvidos nesse trabalho e eles mesmos desenvolvem as peças que apresentam”, informou Girotto. Segundo ele, de forma lúdica as crianças absorvem conhecimento, o que aumenta as chances delas terem uma rotina de higienização bucal adequada.

Hoje e amanhã, outros alunos da rede municipal assistem as apresentações no Teatro. As unidades de saúde do município também programaram atividades ao longo de toda a semana, também tendo como público-alvo a criança.

A higienização correta da boca não preveni apenas cáries. Além das bactérias da boca se multiplicarem com os restos alimentares e retirarem o cálcio dos dentes, tornando-os mais vulneráveis a elas, a ingestão dessas bactérias pode trazer consequências para o organismo. Os órgãos mais atacados costumam ser coração, fígado e rins.

Jornal da Manhã

sexta-feira, 27 de Outubro de 2006

73) Saúde oral "versus" sucesso profissional

Um sorriso atrativo também é um cartão de visita, que pode abrir portas – segundo uma pesquisa da Academia Americana de Odontologia Cosmética, 74% dos entrevistados consideram um sorriso pouco atrativo um obstáculo para o sucesso profissional.
* * *
Não basta apenas trabalho e sucesso nos estudos; quem queira também ter maior sucesso profissional e pessoal terá de ter também um sorriso atractivo.
Quantas e quantas medidas tomadas para o sucesso na escola, quando muitas vezes não se dá um mínimo de atenção aquilo de que as crianças e jovens mais precisam, nomeadamente cuidados de saúde específicos relativos ao seu desenvolvimento.
Parece mentira mas é uma pura verdade: para um jovem se matricular no ensino básico ou secundário tem de ter as vacinas em dia, mas nunca ninguém se preocupa com a sua saúde oral. HAJA CORAGEM E MODIFIQUE-SE ESTA LEI.
Gerofil

72) Projeto Sorrir: Ação Solidária por um Sorriso Melhor

Recife, BRASIL - Será lançado neste sábado (21), Projeto Sorrir: Ação Solidária por um Sorriso Melhor, no Parque 13 de Maio, Centro do Recife, das 9h às 16h, dentro das comemorações da Semana de Saúde Bucal. A iniciativa, da Faculdade de Odontologia do Recife (FOR) em parceria com as secretarias municipais de Saúde e Política de Assistência Social, tem o objetivo de promover a educação em saúde na área bucal.
Cerca de 60 alunos e 20 professores da FOR desenvolverão atividades de diagnóstico de lesões orais e palestra educativa de prevenção à cárie e câncer de boca, enfatizando a importância do auto-exame e na detecção precoce de lesões que podem levar ao câncer. Caso seja detectado pessoas com necessidade de tratamento serão encaminhadas para a rede municipal de saúde e à FOR.
No Parque 13 de Maio, será montado o chamado Pavilhão da Educação em Saúde Bucal, onde haverá apresentação de fantoches e dicas de escovação e aplicação tópica de flúor. Oito escovódromos – espécie de pias portáteis cedidas pela Secretaria de Saúde – serão instaladas no Parque 13 de Maio para orientar as crianças.
Serão distribuídos 500 escovas e cremes dentais para o público, de crianças a idosos. O material foi doado pela Secretaria de Saúde do Recife, através da Coordenação de Saúde Bucal. A estimativa é que 800 pessoas participem do evento.
* * *
Esta notícia faz pensar também nas aldeias isoladas dos meios rurais do interior do país, incluindo as ilhas, onde o acesso aos cuidados de saúde é extremamente onerosa para a população de baixos recursos económicos. Porque não trazer para Portugal estas iniciativas, com as devidas adaptações ?
Gerofil

segunda-feira, 23 de Outubro de 2006

71) Brasil: Governo preocupa-se com a saúde oral da população

O programa Brasil Sorridente do Ministério da Saúde entregou na quinta-feira, dia 19, em Lavras, equipamentos odontológicos para melhoria do atendimento na área de saúde bucal através do Sistema Único de Saúde (SUS). A solenidade aconteceu no saguão de entrada da prefeitura, às 13h com a presença de autoridades municipais e do coordenador nacional de saúde bucal, Gilberto Pucca.
O equipamento destinado à saúde bucal foi entregue a prefeita Jussara Menicucci, na presença do vice-prefeito Ennio Mendes, do secretário Municipal de Saúde Antônio Moura, do coordenador do programa em Lavras, o dentista Alysson Magno Matiolli, da coordenadora do Programa de Saúde da Família (PSF) Maria Salete Sales Pereira, de representantes do curso de Odontologia do Unilavras, do delegado do Conselho Regional de Odontologia, o dentista Eduardo Pires Cardoso, do superintendente de Saúde Oral, Antônio Fontes, do presidente do Conselho Municipal de Saúde, Adjamar Veríssimo e de profissionais de saúde de Lavras.
O município recebeu do Governo Federal 29 equipamentos dos mais variados, como compressor de ar, cadeira odontológica, consultórios odontológicos e outros. O coordenador Nacional de Saúde Bucal, Gilberto Pucca Júnior, falou e ressaltou o desempenho do Governo Federal na área da saúde. A prefeita Jussara Menicucci também falou do trabalho da saúde realizado em Lavras e agradeceu, em nome do município, as doações do Governo Federal.
Atualmente Lavras conta com 14 equipes de saúde bucal, responsável pela melhoria da atenção básica gratuita no município. Em 2002 não havia investimentos nesta área com o programa do Governo Federal, o Brasil Sorridente, mas de janeiro a setembro deste ano foram repassados mais de R$ 212 mil para a manutenção dessas equipes e avanço no atendimento odontológico.
Nos últimos anos, o Ministério da Saúde através do Brasil Sorridente vem investindo na área de saúde bucal em Minas Gerais. Em 2002, eram apenas 332 equipes de saúde bucal. Hoje, são 1.421, que atendem mais de 7 milhões de pessoas - um aumento de 328%. O programa atinge 519 municípios mineiros, com mais de 22 milhões de reais investidos somente neste ano. Minas Gerais conta, agora, com 163 consultórios que oferecem assistência básica odontológica e abrigam equipes de saúde bucal do programa Saúde da Família. Além disso, o Estado possui 53 Centros de Especialidades Odontológicas - outros 14 em fase de implantação - distribuídos em 49 cidades do território mineiro. De janeiro a agosto deste ano, esses centros em Minas Gerais receberam mais de R$ 3.6 milhões.
* * *
E nós por cá, como vamos ?
Gerofil

70) Médicos Dentistas: Américo Afonso candidata-se a bastonário

Américo Afonso anunciou esta quarta-feira que vai defrontar o actual bastonário da Ordem dos Médicos Dentistas (OMD), Orlando Monteiro, nas próximas eleições para o cargo, que se realizam no próximo dia 9 de Dezembro.
«Um futuro com ordem - Uma Ordem com futuro» é o lema do manifesto de candidatura hoje apresentado por Américo Afonso, que pretende «levar a cabo uma série de medidas que conduzam à mudança e renovação do actual panorama de classe dos mais de cinco mil médicos dentistas e de saúde oral em Portugal».
No manifesto, Américo Afonso propõe-se efectuar uma reformulação total do modelo organizacional da OMD, criando um Conselho Directivo com poderes deliberativos, acompanhado por um Conselho Consultivo com a missão de acompanhar as decisões daquele órgão executivo. Pretende também limitar os mandatos dos titulares de cargos da OMD a dois mandatos, criar sistemas complementares de assistência social para os associados, promover a certificação de qualidade dos consultórios e clínicas dentárias e criar esquemas obrigatórios de actualização profissional para os médicos dentistas.
Américo Afonso, de 46 anos, é licenciado e doutorado pela Faculdade de Medicina Dentária da Universidade do Porto (FMDUP), onde é professor associado com agregação. Foi presidente da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária, director e presidente do Conselho de Administração do Hospital de São Marcos, em Braga, vice-presidente do Conselho Directivo da FMDUP e presidente do Conselho Deontológico e de Disciplina da OMD.
No seu currículo tem 50 artigos científicos publicados, com três prémios e menções honrosas, tendo proferido mais de uma centena de conferências em reuniões científicas nacionais e internacionais.

quinta-feira, 19 de Outubro de 2006

69) Observatório de Saúde Bucal

"O Projeto Observatório de Saúde Bucal Coletiva - construindo a cidadania na saúde"
LinK: tecle aqui.
* * *
Há falta de programas concretos e reais no terreno, junto de todos os que precisam, fica aqui o exemplo aplicado noutras paragens (link) por quem tem a obrigação de estabelecer políticas de saúde oral em Portugal.
Hoje já existem em Portugal todos os meios e recursos para assegurar uma saúde oral a todos os portugueses sem excepção; basta simplesmente vontade para os colocar à disposição de quem tanto os precisa, sem descriminação social ou económica. A SAÚDE ORAL DEVE SER CONSIDERADA TÃO IMPORTANTE COMO PÃO PARA A BOCA.
Gerofil

68) Epidemiología – Salud bucodental en España y Portugal

Epidemiología – Salud bucodental en España y Portugal
César Mexia de Almeida e outros
Link: tecle aqui

67) Changing oral health status of 6- and 12-year-old schoolchildren in Portugal

Changing oral health status of 6- and 12-year-old schoolchildren in Portugal
César Mexia de Almeida, Poul Erik Petersen,
Sónia Jesus André e António Toscano
Link: tecle aqui

66) Algumas orientações importantes sobre higiene oral

1-Use fio dental entre todos os dentes pelo menos uma vez ao dia. Siga uma ordem: comece atrás do último dente para terminar atrás do último dente do outro lado. Faça isto na arcada superior e inferior;
2- Escove uma arcada dentária de cada vez, primeiro a superior, após a inferior e por último o dorso da língua. Lembre-se que não é o excesso de força que limpará os dentes, mas o número de vezes que a escova de dente tocar a superfície dos dentes;
3- Inclua na escovação uma faixa de gengiva, pois a gengiva necessita ser massageada e assim evita-se a gengivite;
4- Use pouco creme dental, uma porção equivalente a uma ervilha. Não engula pasta de dente, pois o creme dental é somente um meio auxiliar de escovação;
5- Faça três bochechos com água limpa para finalizar a escovação;
6- Escove os dentes após as refeições, ao comer doces e antes de dormir. Devido ao tempo que dormimos a escovação da noite é uma das mais importantes, pois os dentes se remineralizam em ambiente saudável;
7- Pessoas com “Alta Incidência de Cárie”, isto é, com mais de quatro cáries ativas, devem escovar os dentes todas as vezes que se alimentarem até a flora bacteriana se tornar equilibrada;
8- Os pais devem narrar e escovar os dentes das crianças; pois está comprovado que elas só adquirem a noção tridimensional das arcadas dentárias após várias demonstrações;
9- Ao escolher sua escova de dente procure aquela que tenha cabeça pequena, cerdas macias e um cabo de boa empunhadura. A escova deve ter uso individualizado e ser descartada a cada três meses.
FABIANE BONFADA (Cirurgiã-dentista)
Panambi

quarta-feira, 18 de Outubro de 2006

65) Procurar quem necessita de cuidados de saúde oral

CIDADE DO NATAL (Rio Grande do Norte, Brasil) - As crianças e adolescentes do município de Pedro Velho recebem prioridade nas ações desenvolvidas pela prefeitura municipal, através da Secretaria Municipal de Saúde. A equipe de saúde bucal realiza um trabalho intensivo nas escolas da rede municipal de ensino, além da creche e do Peti (Programa de Erradicação ao Trabalho Infantil).
Periodicamente, os dentistas e seus auxiliares ministram palestras sobre a importância da escovação, da higiene bucal, e do uso de fio dental. As doenças bucais também são temas das palestras. Este trabalho é desenvolvido através do programa de Saúde Bucal.
Segundo a coordenadora da secretaria municipal de saúde, Adriana Juvêncio Fonseca, atualmente a equipe de saúde bucal está realizando os trabalhos de prevenção com as crianças da Creche Municipal e do ensino infantil. Com as crianças atendidas pelo Peti, as ações já foram concluídas. "Através de palestras ministradas por dentistas e seus auxiliares, os alunos serão orientados sobre a importância da higiene bucal. As crianças são os principais alvos dos trabalhos educativos, mas o atendimento se estende a toda população de todo município", diz.
Tratamento: Adriana Fonseca destaca que além do trabalho preventivo realizado nas escolas, creche e programas sociais, a equipe de saúde bucal garante o tratamento odontológico encaminhando os pacientes para o consultório. "Quando a equipe detecta algum caso que necessite de tratamento odontológico, faz o agendamento e encaminha o aluno para o consultório, garantindo que a criança faça o tratamento curativo", afirma.
* * *
Óptimo exemplo que os Ministérios da Educação e da Saúde deveriam aplicar de imediato em todas as escolas portuguesas, sem excepção.
Gerofil

64) Informar as pessoas das consequências por não serem devidamente tratadas a tempo

As próteses dentais têm prazo de validade: uma dentadura que “dança” na boca pode dificultar a fala e a mastigação ou deixar o rosto precocemente envelhecido. Nestes casos, deve ser substituída, sob o risco de prejudicar a saúde. O uso contínuo de uma dentadura inadequada ou mal ajustada pode lesar a mucosa e até originar uma neoplasia maligna (cancro) devido ao trauma constante nos tecidos moles da boca. O alerta é do especialista e mestre em Periodontia, Clarindo Mitiyoshi. Ele é membro da Academia Européia de Osteointegração e coordenador do curso de especialização em Implantodontia da Associação Paulista de Cirurgiões-Dentistas – Seção Jardim Paulista (APCD).
Mitiyoshi explica que, ao longo dos anos, o ser humano apresenta reabsorção óssea. Ou seja, os ossos sobre os quais a prótese dental foi moldada diminuem naturalmente. Esta mudança pode deixar a prótese instável.
Segundo o especialista, a cárie é a principal responsável pela perda dental. Já na vida adulta, a prevalência maior é da doença periodontal, que afeta as gengivas. Jovens também podem desenvolver problemas periodontais severos, por isso Mitiyoshi destaca a importância da visita regular ao dentista para o diagnóstico precoce da doença.
Tratamento: entre as opções de tratamento de reabilitação oral para casos de edentulismo (ausência de dentes) estão a prótese total (dentadura) e a prótese fixa sobre implante. A prótese fixa sobre implante, na opinião de Mitiyoshi, é a solução definitiva porque oferece maior estabilidade e segurança para o paciente mastigar, sorrir e falar, recuperando sua auto-estima e favorecendo o seu convívio social.
O setor odontológico está em constante evolução e há diversas técnicas e implantes disponíveis para reabilitação oral. Dependendo da avaliação clínica, o tratamento pode envolver o uso de enxerto ósseo e durar até seis meses para ser concluído. Quando a indicação clínica é favorável, é possível colocar o implante dental em até uma hora, sem necessidade de enxerto ósseo. De acordo com Mitiyoshi, atualmente é possível substituir qualquer tipo de prótese dental pelo sistema de implante oral. “Só usa dentadura quem quer”, declara.
* * *
Se se os nossos governantes estão realmente interessados em prevenir as doenças associadas à saúde oral, então passem estas informações às pessoas, incluindo os grupos etários mais jovens; ao mesmo tempo, possibilite-se os devidos tratamentos as todas as pessoas - tudo o resto é completamente desnecessário e será dinheiro dos nossos impostos muito mal empregue.
Gerofil

63) Taxa de sucesso dos implantes dentários ronda os 98%

Fernando Almeida é responsável pelo ensino teórico-prático de colocação de implantes nas suas clínicas, situadas em Lisboa e no Porto. O Curso possui nove módulos, duram aproximadamente seis meses e destinam-se aos médicos dentistas que desejam aprofundar os seus conhecimentos nesta área. A parte prática é, primeiro, efectuada em maxilares de animais; posteriormente, em doentes de cada uma das clínicas.
Além dos cursos de Implantologia, Fernando Almeida é promotor de uma acção de solidariedade: «Tratamos gratuitamente várias crianças até aos 18 anos, por dia, que estão ao abrigo da Segurança Social, no Lar Internato dos Carvalhos, no Porto. São crianças vítimas de maus-tratos por parte dos pais, filhas de presos, alcoólicos, portadores de SIDA, etc.» Em Lisboa, com a parceria da Junta de Freguesia de Belém, está prevista a implementação de uma acção semelhante dirigida às pessoas carenciadas de todas as idades.
Dr. Fernando Almeida, médico dentista e investigador de Implantologia da Universidade de Gotemburgo, Suécia
* * *
Caro Dr. Fernando Almeida, aqui fica o agradecimento pelo seu trabalho de solidariedade junto daqueles que são os mais necessitados.
Não devemos esquecer também que Portugal não é só Lisboa e o Porto; há que arranjar medidas urgentes para a grande percentagem de crianças e jovens do interior rural do continente e das ilhas que se encontra completamente abandonados em termos de "saúde oral" por parte do SNS, pese embora tantas promessas, estudos e medidas tomadas pelas entidades oficiais que mais parecem ser feitas para "inglês" ver e colocar depois na gaveta.
Gerofil

62) Perdi meus dentes, e agora?

Na matéria de hoje vamos falar sobre uma técnica que se chama: Protocolo. Se você perdeu todos seus dentes, ou grande parte deles, sem dúvida esta técnica pode resolver o seu caso, de maneira rápida, sem grandes dores e com um custo relativamente baixo. O protocolo irá devolver a você uma mastigação correta dos alimentos, acabará com o constrangimento de sorrir e, consequentemente, devolverá o formato que o rosto tinha antes da ausência dos dentes.
Antes dos implantes dentários, não existia qualquer solução fixa disponível para pessoas que tivessem perdido todos os seus dentes. Hoje, é possível substituir um maxilar edêntulo, ou seja, sem dente com alguns implantes dentários e uma ponte fixa apoiada sobre eles que resultará em uma solução permanente, estável e de estética elevada.
Vantagens de um Protocolo sobre implantes:
Quando todos os dentes estão em falta ou estão num tal estado que seja necessário substituí-los, uma ponte fixa apoiada sobre implantes dentários é a melhor solução. O Protocolo:
-permite a você comer e funcionar como se tivesse dentes naturais;
-uma solução sólida e estável que lhe servirá para a vida;
-preserva a aparência da face - previne a perda de osso;
Tratamento:
O procedimento de tratamento e o número de consultas depende sobretudo, das condições específicas. Porém, no geral, 5 a 10 consultas deverão ser suficientes para a colocação de uma ponte fixa. A maioria dos pacientes conta que se sentiu bastante mais confortável do que o esperado durante o procedimento.
O procedimento de tratamento aqui descrito é apenas uma de, possivelmente, várias alternativas disponíveis:
1.-Antes do procedimento o dentista determina o procedimento necessário para iniciar o tratamento;
2. Colocar os implantes - o primeiro passo é a colocação dos implantes dentários para substituir a raiz dos dentes. Neste caso, são utilizados cinco implantes. São colocados dentes provisórios que lhe permitem comer e funcionar normalmente enquanto aguarda a colocação da ponte definitiva.
3. Fixar o PROTOCOLO - a ponte definitiva ou protocolo é firmemente colocado sobre os implantes. No caso de um maxilar edêntulo, são geralmente necessárias 1 a 3 consultas para fixar completamente a ponte.
4. Resultado final - será difícil distinguir quais os dentes novos e quais os dentes naturais - tanto para si como para os outros. Pessoas que utilizaram próteses convencionais antes de experimentar uma ponte fixa protocolo, descrevem frequentemente esta opção como uma experiência incomparável e extremamente positiva.
ALTERNATIVAS À PONTE FIXA PROTOCOLO
Uma alternativa à ponte fixa é a utilização de uma sobredentadura implanto-suportada. A prótese tradicional, Dentadura, apresenta várias desvantagens e, se possível, deverá ser evitada.
a) Sobredentadura sobre implante removível: uma sobredentadura de encaixe de bola ou retida por barra, que por sua vez é apoiado em dois ou mais implantes na parte anterior do maxilar. Os implantes ajudam a manter a prótese no lugar e proporcionam uma melhor função e conforto. O custo é geralmente o motivo pelo qual esta solução é escolhida em detrimento de uma ponte fixa - embora o resultado final não seja comparável.
b) Prótese completa removível: uma dentadura que é colocada folgadamente sobre a gengiva para suprir os dentes em falta. Esta alternativa não possui grandes vantagens - com excepção do seu custo reduzido e da fácil instalação. As desvantagens são muitas: desconforto ao comer, estética pobre, problemas na fala e dores na gengiva causada pelo movimento da prótese. Para além disto, uma prótese completa colocada no maxilar superior reduz severamente o paladar.

quinta-feira, 12 de Outubro de 2006

61) PSF está garantindo a cobertura total

RIO GRANDE DO NORTE, BRASIL - A qualidade dos serviços oferecidos na área de saúde é uma das prioridades da Prefeitura de Rio do Fogo. Com a cobertura completa do município, quatro equipes de PSF (Programa Saúde da Família) garantem o atendimento médico à comunidade, além do trabalho educativo, visando orientar sobre as medidas que proporcionam melhorias na qualidade de vida.
Segundo a diretora da unidade mista de saúde, Arivoneide Pontes, as visitas domiciliares fazem parte da programação mensal realizada pelas equipes de PSF. "Toda quarta-feira, cerca de dez famílias recebem a visita do enfermeiro, auxiliar e médico. As visitas são agendadas previamente pelos agentes de saúde, de acordo com as necessidades de cada família", diz.
O município conta com quatro equipes de PSF, que realizam a cobertura de 100% da população. A diretora ressalta a importância do trabalho educativo realizada pelas equipes de PSF para melhorias na qualidade de vida da população. "Reunimos a comunidade da Colônia dos Pescadores para assistir a palestras que abordam medidas preventivas. O objetivo é orientar a população, para que adotem certos cuidados para não adquirir doenças", afirma.
O assunto discutido na última reunião foi sobre as doenças sexualmente transmissíveis e reuniu toda a comunidade. Os beneficiados puderam interagir tirando suas dúvidas sobre o tema. A próxima abordará a "Conscientização humana", explicando os programas de saúde desenvolvidos na Unidade, mas ainda não tem data definida.
A diretora destaca que em Punaú, a equipe de saúde também desenvolve o trabalho educativo nas escolas e com as crianças do Peti (Programa de Erradicação ao Trabalho Infantil). A equipe de saúde bucal ministra palestras sobre a importância da higiene bucal, a partir da escovação, do uso do fio dental e da aplicação de flúor. "As crianças precisam ter conhecimento sobre a importância da higiene para evitar as doenças. Nosso objetivo é fazer com que os alunos sejam orientados e adquiram o hábito da escovação correta", finaliza.
* * *
Aqui fica o exemplo de uma política voltada para a resolução dos problemas reais das pessoas, apostando na prevenção de doenças.
Em vez de gastar milhões e milhões de euros em actividades sem qualquer benefício para a população, bem podem os nossos presidentes de Câmara e Ministros olharem para o Brasil e aplicarem também cá em Portugal este bom exemplo.
Gerofil

60) Solidariedade Médica e Social

Um projecto nacional para levar apoio médico gratuito a pessoas carenciadas efectuou, nos últimos dias, cerca de 1.700 rastreios de doenças em quatro freguesias do concelho de Ponta Delgada, anunciou fonte da iniciativa.
Designado SMS - Solidariedade Médica e Social, o projecto envolveu voluntários, entre médicos, enfermeiras e técnicos de saúde, que desenvolveram diversas acções, durante a última semana, nas freguesias de Arrifes, São José, Livramento e Fajã de Baixo.
Segundo a mesma fonte, o balanço da iniciativa ultrapassou as expectativas, uma vez que foram efectuados 1.500 rastreios a 530 adultos, incluindo medições de glicemia, colesterol, triglicéridos, cardiopneumologia e estudo da função respiratória.
Além disso, os voluntários efectuaram outros 200 rastreios da visão a crianças e promoveram acções de sensibilização na área de higiene oral a 1.200 estudantes, assim como acções de planeamento familiar, auto-exame da mama e aleitamento materno a cerca de 300 adultos e adolescentes.
No total ao longo dos últimos cinco dias, adiantou a mesma fonte, beneficiaram deste projecto cerca de duas mil pessoas do concelho de Ponta Delgada, uma iniciativa que segue para o concelho de Mértola, entre 21 e 24 de Novembro.
Este projecto envolveu "uma grande logística" que levou nove meses a organizar, com o objectivo de ajudar de forma gratuita e humana todos os que, por razões geográficas ou sociais, não têm acesso a cuidados básicos de Saúde, adiantou.
Depois desta primeira acção, os técnicos do projecto SMS seguem, até Dezembro, para algumas freguesias dos concelhos de Mértola e do Sabugal.
A responsável adiantou ainda que, para o ano, já estão agendadas seis acções no continente, admitindo a hipótese de o projecto regressar, em 2007, a outra ilha açoriana.
Entre as entidades que aderiram ao projecto figuram médicos voluntários, a Escola Superior de Saúde de Leiria, a Escola Superior de Tecnologia da Saúde de Lisboa, a Faculdade de Medicina Dentária da Universidade de Lisboa, a Associação Portuguesa de Apoio à Mulher com Cancro da Mama e as câmaras municipais de Ponta Delgada, de Mértola e a do Sabugal.

59) Dentistas nos Centros de Saúde

Várias vezes tenho referido que existe uma grande necessidade de se incluir a medicina dentária nas consultas dos Centros de Saúde. Também me parece óbvio que esse será um objectivo difícil de atingir, mas que é inevitável. Então agora, com as Unidades de Saúde Familiares, cuja filosofia de funcionamento tenderá a aumentar a competitividade e a oferta de serviços, o caminho será apenas de um sentido e acredito que não demorará muito a considerarmos normal a presença do Médico Dentista nos Centros de Saúde.
Entretanto continuamos com o problema de termos uma fatia considerável da população com carências e problemas importantes a nível da sua saúde oral. Na grande maioria, quem mais necessita serão as pessoas que não possuem condições económicas para recorrer a uma consulta privada. Estima-se que seja cerca de 50% da população que se encontra nesta situação. No outro extremo temos vindo a assistir a uma melhoria da saúde oral na parcela da população com melhores recursos económicos. Essa melhoria, que se reflecte directamente nos resultados gerais de saúde oral da população portuguesa, está relacionada com a intervenção que os médicos dentistas têm tido no âmbito preventivo e terapêutico das doenças da cavidade oral.
Como já referi, o exercício da Medicina Dentária em Portugal é eminentemente privado, existindo poucos Centros de Saúde que dispõem de apoio médico-dentário. Essa é uma das razões pela qual apenas os estratos sócio-económicos mais favorecidos poderão apresentar melhorias significativas na saúde oral. Graças a uma intervenção bem direccionada, motivando e sensibilizando pais e filhos individualmente no âmbito da sua consulta, o médico dentista tem vindo a desenvolver uma acção muito mais eficaz que qualquer dos programa públicos de prevenção das doenças da cavidade oral que tem vindo a ser implementado pelo Estado. Ou seja, a melhoria significativa dos índices gerais de saúde oral da população portuguesa, que têm vindo a ser apresentados, resulta da melhoria do estado da cavidade oral das crianças de famílias com melhor poder económico.
Já as crianças mais desfavorecidas têm estado à mercê de programas preventivos Estatais descontínuos, completamente desarticulados e mal concebidos. Penso que só não se verifica um agravamento do estado geral da saúde oral dessas crianças porque o uso de pastas dentífricas com flúor lhes confere alguma protecção. O que eu tenho vindo a defender ao longo destes anos sempre que abordo este assunto, é que existe uma necessidade premente de resolver o problema de saúde oral das crianças mais carenciadas. Isso não se consegue com uma observação esporádica e não continuada, como acontece no actual programa de saúde oral escolar.
Exige sim uma equipa de saúde oral com um programa sustentado de sensibilização e prevenção com ampla divulgação a par dum acompanhamento e envolvimento do médico dentista de forma a reforçar a prevenção, controlar as doenças e monitorizá-las. Se realmente os programas públicos de prevenção na saúde oral, que têm vindo a ser implementados nas duas últimas décadas, tivessem sido eficazes não teríamos um relatório da OCDE de 2006 tão desfavorável. Apesar desse relatório dizer que houve uma melhoria no estado geral da saúde oral dos portugueses, também refere que o nosso país foi o que apresentou piores resultados evolutivos dentro dos países que compõem a comunidade europeia.
Assim, numa fase de contenção de despesas, continua a ser contraproducente o dispêndio de verbas do Estado para programas que os observadores internacionais confirmam ter resultados insuficientes. Começa a ser por demais evidente que enquanto não houver nas estruturas governamentais da Saúde um departamento de Saúde Oral, comandado por elementos com competência na área, que definam estratégias claras relativamente a este problema, estaremos com o futuro da saúde oral dos portugueses comprometido.
À semelhança do que acontece com outras áreas do nosso país, desperdiçamos recursos sem atingirmos a produtividade desejada. Já começa a ser tempo do actual ministro da Saúde, Prof. Correia de Campos, tentar inverter esta tendência e actuar em conformidade.
PAULO MELO, Medico dentista e professor de Medicina Dentária

58) O que 7 médicos conseguem fazer

MAIS DE MIL CRIANÇAS ATENDIDAS POR MÊS - São sete médicos especializados que atendem na Secretaria Municipal de Saúde em Lages (BRASIL).
A Secretaria Municipal de Saúde registra uma média bastante alta de atendimentos pediátricos. A média alcança 1.840 atendimentos por mês e de acordo com o secretário municipal de saúde, Heron Anderson de Souza, no atendimento pediátrico destaca-se o Sistema de Vigilância Alimentar e Nutricional.
Este programa consiste em um conjunto de informações para a formulação e reorientação de políticas públicas quanto a situação alimentar e nutricional da população. “Todo mês são acompanhadas 2.290 crianças e 280 gestantes”, informa o secretário.
Outro programa em destaque é o Atendimento Psicossocial (PAPS) voltado à crianças e adolescentes com transtornos biopsicossociais. O Objetivo é a busca da superação das dificuldades apresentadas nas áreas psicológica, psicopedagógica, fonoaudiológica, social, terapia ocupacional, fisioterapia, odontopediatria, neurologia e audiometria. Atualmente estão cadastradas 5.204 crianças no Programa.
* * *
É simples: basta reunião de vontades e a obra nasce. Parabéns.
Gerofil

quarta-feira, 11 de Outubro de 2006

57) Rastreios Dentários Gratuitos

Outubro é o mês dedicado à Saúde Oral. Cerca de dois mil consultórios vão-se associar a esta data para um check in dentário gratuito, numa iniciativa promovida pela Colgate e pela Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD).
Qual o real estado de higiene e saúde oral dos Portugueses é o que se pretende analisar com a edição de 2006 dos check-ups dentários gratuitos (sem tratamento ou radiografias), procurando em simultâneo sensibilizar a população de Portugal Continental, ilhas inclusive, para esta questão. Afinal, apenas 23,7 por cento dos adultos portugueses, segundo dados da última edição do Mês da Saúde Oral, têm uma dentição completamente saudável. Uma situação que se verifica sobretudo nas zonas urbanas e nas regiões do Algarve (32%), do Centro (25,8%) e pessoas com Escolaridade Superior (32,1%). As situações piores têm maior incidência nas zonas suburbanas (20,7%) e em indivíduos com a Escolaridade Básica (15,7%).
A Colgate divulgou ainda outros resultados: o de um estudo realizado em mais de uma centena de escolas de todo o país com crianças dos 5 aos 12 anos. Somente 19 por cento das escolas do ensino básico e jardins-de-infância promovem, regularmente, acções de higiene oral. De forma a envolver mais as escolas neste hábito vão ser efectuados, pela primeira vez, rastreios dentários gratuitos a crianças em 50 escolas.
Para os interessados em realizar um check-up dentário gratuito, a Colgate e a SPEMD disponibiliza uma “Linha Azul” – 808 205 206 entre as 9h e as 23h. Aí pode-se, também, saber os consultórios aderentes a esta iniciativa. No concelho, sabe-se que aderiram: Odivelas (7), Pontinha (5), Póvoa de Santo Adrião (2), Ramada (1); e no concelho vizinho, em Loures (3), Catujal (2), Camarate (2) e Santo António dos Cavaleiros (2).
* * *
Saúde Oral e Problemas Cardíacos estão relacionados
Um estudo publicado no American Journal of Preventive Medicine (EUA) revela que existe uma relação entre a saúde oral e os problemas cardíacos, uma vez que em 4,7 por cento das pessoas que tinham perdido um dente manifestaram problemas cardíacos, este número aumenta para os 5,7 por cento entre os que perderam um a cinco dentes, para 7,5 por cento nos casos de queda de 6 a 31 dentes e para 8,5 por cento nos que perderam totalmente os dois. Saiba que pela boca se chega ao coração. Por isso proteja os dois.
* * *
Está compravado que o estado da saúde oral condiciona o restante organismo. Assim, é fundamental apostar, em primeiro lugar, na saúde oral das pessoas. Para isso deve o MINISTÉRIO DA SAÚDE DISPONIBIZAR OS MEIOS NECESSÁRIOS ÀS POPULAÇÕES, PARA QUE AS PESSOAS SE POSSAM TRATAR E PREVENIR PRECOCEMENTE RELATIVAMENTE ÀS DOENÇAS DENTÁRIAS..
Gerofil

56) Implante dentário, solução para quem tem problemas com os dentes

Os implantes dentários são a solução para muitas pessoas que tiveram problemas com seus dentes naturais. Os implantes osseointegrados começaram a ser utilizados na década de 60 e viraram um sucesso porque além de serem melhores do ponto de vista estético que as dentaduras ou pontes móveis, exercem as funções dos dentes naturais com muito mais eficácia.
O Dr. Maurício Morato Corrêa explica a seguir como este processo funciona, seus riscos e eficiência.
-O que são implantes osseointegrados?
-Introduzidos a partir da década de 60, são “parafusos” de titânio colocados nas áreas desdentadas, que apresentam a capacidade de exercer as funções mastigatórias e funcionais de maneira semelhante aos dentes naturais. Comparativamente, são muito superiores as próteses totais (dentaduras) ou removíveis (pontes móveis).
Normalmente o tratamento é realizado em três etapas: uma para colocação do cilindro de titânio (uma cirurgia mais extensa); outra, alguns meses após, para a colocação dos dispositivos que suportarão a prótese e finalmente a terceira etapa, a confecção da peça protética.
-O que existe de mágico no titânio? Existem riscos de rejeição?
-Não. Simplesmente o titânio não sofre corrosão quando inserido no corpo humano e não apresenta fenômeno de rejeição imunológica. O sucesso da técnica ocorre devido a um bom conjunto de fatores: do planejamento, da técnica cirúrgica, de um bom período de cicatrização e de uma reabilitação adequada.
Este protocolo (a receita completa de como se faz um implante) tem minúcias que não podem ser desprezadas, e um profissional competente e bem treinado na técnica pode alcançar excelentes resultados.
-Existem garantia de sucesso?
-A principio pode ser dito que a taxa de sucesso é uma boa garantia, mas nos processos biológicos sempre existe uma certa dose de imponderabilidade.
-Quais as contra-indicações?
-O comprometimento da saúde geral que impeça a realização do ato cirúrgico e a ausência de osso suficiente para acomodar os implantes. Um estudo detalhado dos exames por imagem evitará surpresas, especialmente na fase cirúrgica.
-Quais os riscos cirúrgicos?
-Mínimos. A cirurgia é normalmente feita em duas horas, com anestesia local e é muito mais simples do que outros procedimentos cirúrgico-odontológicos, como a extração de um dente retido, por exemplo. Os implantes são colocados de forma não traumática e o osso é manipulado com suavidade, parecido com uma microcirurgia.
O único efeito posterior está associado ao desprendimento da gengiva, devendo ocorrer inchaço local, em uma intensidade que varia de paciente para paciente.
-Quais são os maiores problemas após a colocação dos implantes?
-Alguns estudos demonstram que os maiores problemas após a colocação das próteses são a dicção e as mordidas nas bochechas, em função da colocação de dentes nas áreas que ficaram desdentadas por muito tempo, sendo normalmente contornáveis em pouco tempo.
Lembre-se: o implante é muito superior a outros procedimentos de prótese e na ausência dos dentes, é o que de melhor pode ser realizado.
-Posso comer de tudo após a colocação das próteses?
-Não, mas as restrições não são muito severas. Você deve ter em conta que os implantes, por melhores e mais confiáveis que sejam, ainda não representam a total recuperação funcional e estética, não podendo, pelo fato de serem artificiais, restituir completamente todas as funções que os dentes naturais exerciam. Assim, você deve evitar alimentos excessivamente duros.

55) Porquê a importância de controlar a saúde oral desde o berço ?

Porque a cárie dentária é uma doença que aparece a partir dos 6 meses de idade e que, se não for devidamente tratada, pode afectar todos os dentes de leite e condicionar a futura dentição definitiva.
Assim, é muito importante o acompanhamento da saúde oral das crianças logo desde o berço; este acompanhamento deve ser feito ao longo de toda a infância e adolescência, de modo a prevenir precocemente quaisquer anomalias ao nível do desenvolvimento dentário da criança e do adolescente.
Gerofil

terça-feira, 10 de Outubro de 2006

54) BRASIL: Equipas de Saúde Famíliar integram técnicos de saúde oral

As seis novas equipes do programa Saúde da Família (PSF), instituído pela Prefeitura Municipal de Bauru, começam a atender a partir de hoje. O serviço consiste em desenvolver programas de prevenção, recuperação e reabilitação de doenças.
Cada grupo é composto por um médico, um enfermeiro, um auxiliar de enfermagem e seis agentes comunitários de saúde. Quando ampliado, conta ainda com um dentista, um auxiliar de consultório dentário e um técnico em higiene dental.
Conforme a Secretaria Municipal de Saúde, o serviço tem apresentado um índice de resolutividade dos casos atendidos de 90% e uma cobertura de vacinas e pré-natal de 100%.
* * *
Tal como no Brasil, espera-se que as Unidades Familiares de Saúde em implantação em Portugal, por parte do Ministério da Saúde, incluam também técnicos de saúde oral, de forma a tornar eficaz o combate a esta doença.
Torna-se imperioso e urgente o acesso universal da população portuguesa, independentemente do seu poder económico e área de residência, a consultas e tratamentos de saúde oral.
Gerofil

segunda-feira, 9 de Outubro de 2006

53) Prevenção em meio escolar, muito para além da saúde oral

Prefeitura de Mogi Mirim, Estado de S. Paulo, Brasil - A Prefeitura de Mogi Mirim, através dos departamentos de Educação e de Saúde, lançou na tarde desta quarta-feira, dia 4, dois projetos sociais que beneficiarão cerca de 10 mil alunos matriculados na rede municipal de ensino.
Um deles é o programa Boa Visão é Qualidade de Vida, que promoverá testes de acuidade visual, consultas oftalmológicas e entrega de armação de graça para os estudantes que não podem pagar. O outro é o programa de Saúde Bucal.
O lançamento dos dois projetos foi realizado na Emef (Escola Municipal de Educação Fundamental) Dona Sinhazinha. "Além de oferecer o processo pedagógico do aprendizado, a escola tem por obrigação também educar os alunos quanto à higienização bucal pessoal e verificar a saúde visual dessas crianças", disse o prefeito Carlos Nelson Bueno.
O programa Boa Visão é Qualidade de Vida já aplicou teste de acuidade visual em 4.500 alunos da 1ª a 4ª séries do Ensino Fundamental. Em 639 crianças foi diagnosticado algum tipo de problema. Agora, as crianças passarão por um médico oftalmologista. O atendimento desses alunos será feito através de um mutirão, que ainda não tem data marcada, mas deve acontecer até o final do mês. Os testes visuais prosseguirão nas creches e nas escolas de Ensino Infantil. O programa conta com o apoio da ACCB (Associação Civil Cidadania Brasil), que irá fornecer 500 armações de óculos. Os alunos que necessitarem de lentes especiais também terão apoio do Município.
O programa de Saúde Bucal já vinha sendo aplicado na rede municipal de ensino. Será, agora, mais intensificado. Cada aluno ganhou um kit com o seu nome, contendo pasta de dente e escova, que será de uso individual. As crianças que ainda não começaram o processo de alfabetização terão suas fotos coladas no kit para a identificação. Uma equipe do Departamento de Saúde, com o auxilio de fantoches, visitará todas as escolas da rede para ensinar os alunos a forma correta de escovação. A meta é diminuir o índice de cárie no município.

52) Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral

O Programa Nacional de Promoção da Saúde Oral foi publicado por despacho ministerial no Diário da República n.º 3, II Série, no dia 5 de Janeiro de 2005. Atendendo que já passaram 21 meses desde a sua entrada em vigar, pergunta-se:

-Qual o número e a percentagem de crianças e jovens (relativamente à população total nacional dos respectivos grupos etários) que estão abrangidos pelo programa ?

-Quais os jardins-de-infância e as escolas básicas e secundárias do país abrangidas pelo programa ?

Aguarda-se uma resposta das autoridades oficiais, nomeadamente do Ministério da Saúde e do Ministério da Educação.

“A saúde oral das crianças e dos adolescentes é um GRAVE PROBLEMA DE SAÚDE PÚBLICA” (página 64 da Brochura Saúde Oral, D.G.S., Lisboa, 2005)
Gerofil

domingo, 8 de Outubro de 2006

51) Outubro – Mês da Saúde Oral

A Colgate e a Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD) estão a promover, durante este mês, a 7ª edição do Mês da Saúde Oral da Colgate e SPEMD. Durante este mês, os Profissionais de Saúde Oral aderentes vão, voluntariamente, realizar um check-up dentário gratuito à população (sem radiografias ou tratamentos), com identificação das principais deficiências na Higiene Oral dos Portugueses.
Na Home Page da Sociedade Portuguesa de Estomatologia e Medicina Dentária (SPEMD) encontram-se os relatórios da iniciativa referentes às edições de 2000 a 2005.
Gerofil

quinta-feira, 5 de Outubro de 2006

50) Novo serviço de urgência em Valongo

Arrancou na segunda-feira, dia 2 de Outubro, no Hospital Nossa Senhora da Conceição de Valongo o novo serviço de Urgência, requalificado segundo todas as exigências definidas pelo Ministério da Saúde para um "serviço de urgência básico".
Dentro de mais ou menos quinze dias prevê-se a abertura do serviço de Medicina Dentária.
A Voz de Ermesinde

segunda-feira, 2 de Outubro de 2006

48) Andaluzia: ir até junto dos necessitados

La Junta pone en marcha una campaña itinerante para promover la salud bucodental entre los menores. Un autobús trasladará por todas las provincias 144 representaciones de un espectáculo de títeres para concienciar a los más pequeños sobre la importancia de acudir periódicamente al dentista
La Consejería de Salud va a poner en marcha una campaña formativa dirigida a concienciar a los menores andaluces acerca de la importancia de seguir unos cuidados bucodentales adecuados, fomentando además las visitas periódicas al dentista de cabecera. La consejera de Salud, María Jesús Montero, ha presentado esta iniciativa, consistente en un espectáculo de títeres con el objetivo de acercar estos mensajes a los más pequeños en un formato ameno, directo y atractivo.
La obra se representará en un autobús articulado que recorrerá todas las provincias andaluzas hasta mediados de noviembre, lo que posibilitará un total de 144 representaciones y la asistencia de más de 14.000 menores. El vehículo dispone de un escenario para títeres y una zona para el público asistente, con capacidad para un centenar de menores. Cada sesión tiene una duración de unos 35 minutos y consta de 9 actos.
Entre otros aspectos, la obra ofrece consejos básicos sobre el cuidado de los dientes, las distintas partes de la boca y la importancia de acudir al dentista de forma periódica. Asimismo, se informa sobre la prestación bucodental gratuita para menores, ofertada por la Junta de Andalucía a través de la figura del dentista de cabecera y del talón de asistencia dental. La obra también promociona entre los pequeños otros valores cívicos, como la importancia de compartir las tareas domésticas, el ahorro de agua o el reciclaje de basuras.
Del total de 144 representaciones que habrá en toda Andalucía, 12 corresponderán a Almería; Cádiz (20); Córdoba (16); Granada (16); Huelva (12); Jaén (16); Málaga (28), y Sevilla (24).
ATENCIÓN GRATUITA - La Junta de Andalucía puso en marcha en 2002 la atención bucodental gratuita para los niños de entre 6 y 15 años, una medida cuya implantación se está realizando de forma progresiva hasta cubrir a los cerca de 800.000 menores comprendidos en estos tramos de edad. Durante el año 2006, todos los niños andaluces nacidos entre 1994 y 2000 pueden beneficiarse de esta atención, lo que supone que, en total, son 587.706 los menores que tienen acceso a la revisión anual para evitar la aparición de caries. Esto incluye consejos preventivos sobre higiene y alimentación, así como la prestación de la asistencia dental básica y urgente si lo requiere el estado de su boca o dientes.
El profesional responsable de la salud bucodental de los niños es el dentista de cabecera, que el padre o tutor puede elegir anualmente entre los profesionales del sistema sanitario público o del ámbito privado contratados por la Consejería de Salud.
A principios de año, la Consejería de Salud remite por correo a cada niño el Talón de Asistencia Dental Anual (TADA), el documento que permite la elección del dentista, y que, en el caso de las personas que se incorporan por primera vez a este derecho, va acompañado por un directorio de profesionales. Esta información también está disponible en los centros de salud, en las delegaciones provinciales de Salud y en la página web de la Consejería (www.juntadeandalucia.es/salud). Este portal incluye además información general sobre esta prestación. También es posible solicitar información en el Centro de Información y Servicios al Ciudadano ‘Salud Responde’ (902 505 060).
Cada menor puede acudir a la consulta del dentista elegido cuantas veces lo necesite; para ello, sólo es preciso presentar el Talón de Asistencia Dental Anual en la primera visita. El fin de esta prestación es que durante los años que dura este programa, el niño adquiera una cultura de higiene bucal, adopte hábitos preventivos adecuados y reciba una asistencia sanitaria adecuada.
REVISIÓN - La asistencia dental básica consiste en una revisión anual completa del estado de los dientes y la boca del menor, que también recibe información sobre normas de higiene para el mantenimiento de su salud oral y el uso correcto de flúor, además de consejos de alimentación para evitar la aparición de caries. Esta asistencia incluye igualmente el sellado preventivo de las fisuras y fosas que se detecten, el tratamiento de todas las caries de los dientes definitivos, la extracción de las piezas cuando no sea posible su conservación, las limpiezas dentales y la atención urgente en los casos en que sea necesario.
También se contemplan los casos de maloclusión severa en pacientes intervenidos de fisura palatina, labio leporino y malformaciones esqueléticas.
* * *
Saúde oral em Espanha. E em Portugal ? Gostava de saber quando é que em Portugal a saúde oral vai passar a ser considerada um problema de saúde pública.
Dedico esta postagem ao Senhor Ministro da Saúde CORREIA DE CAMPOS, ao Senhor Director-Geral da Saúde FRANCISCO GEORGE e à Senhora Ministra da Edução MARIA DE LURDES RODRIGUES.
Gerofil